Prefeitura lança Programa Maragogi na Escola

O prefeito Sérgio Lira cumpriu, na manhã desta quinta-feira, 04, mais uma promessa de campanha. Em solenidade no auditório da Coopeagro, lançou o programa “Maragogi na Escola”. “Em dois anos, honraremos todos os compromissos de campanha”, prometeu Lira.

“Maragogi Na Escola’’ tem como objetivo promover o acesso das famílias mais pobres à rede de serviços públicos, educação e assistência social e incentivar que as políticas setoriais do município auxiliem as famílias a superarem a condição de pobreza, e, sobretudo, estimular a permanência dos alunos nas escolas.

Segundo a assistente social, Beatriz Calado, que integra a equipe do Programa, o projeto saiu do papel graças às condições dadas pelo prefeito. “Antes de efetivá-lo, procuramos conhecer as experiências de outros municípios que deram certo. Nosso Projeto de Lei foi baseado em tais realidades.”

O programa beneficiará as famílias do município que se encontram em estado de vulnerabilidade social, econômica e de insegurança familiar, com limite de até mil benefícios. Para receber o benefício, é preciso obedecer a alguns critérios: ter renda familiar per capita de até R$ 140,00 (cento e quarenta reais); comprovação de que a família mantém seus filhos dependentes com idade entre 4 e 17 anos matriculados e frequentando escola da rede pública municipal; frequência escolar de 85% (oitenta e cinco por cento); residir no município há no mínimo dois anos a serem auferidos a partir da solicitação do benefício; realizar o acompanhamento das frequências dos alunos; possuir CPF e comprovação de que é cidadão do município de Maragogi; utilização dos recursos do Programa para fins educacionais; não receber benefício do Bolsa Família, ou qualquer outro Programa do Governo; estar cursando até 9º ano do ensino fundamental II.

“É muito importante ver o prefeito trabalhando em prol do município”, disse o jovem Alisson David, que coordena o Programa ao lado do seu subcoordenador, Jhonny Lira, e ainda conta com a assistência da pedagoga Nazaré.

Sérgio Lira mostrou-se estarrecido com o fato de uma adolescente de 15 anos não saber escrever o próprio nome, e chamou de “gestão pública criminosa” um governo que não prioriza a Educação de seu município. “Somos vulneráveis quanto à prostituição infantil e o acesso às drogas, e o fato de habitarmos uma cidade turística, aumenta as possibilidades.”

O valor do auxílio mensal a ser pago a cada família beneficiada será de R$ 100,00 (cem reais). Os benefícios à que se refere esta lei serão pagos, mensalmente, aos responsáveis dos estudantes que serão cadastradas pela Secretaria Municipal de Educação que preencham os requisitos.